29 janeiro 2007

O Sacerdócio dos leigos e o Sacerdócio dos padres

Hoje vamos aprender sobre a colaboração dos leigos no ministério (serviço) dos sacerdotes na Igreja. Todos, sacerdotes e leigos, são chamados ao serviço. A missão é de todos os baptizados.
Cristo Jesus, Sumo e Eterno Sacerdote, quis que a Sua Igreja fosse participante do seu único e indivisível sacerdócio. Ela, a Igreja, é o povo da Nova Aliança, no qual «pela regeneração e unção do Espírito Santo, os baptizados são consagrados para formar um templo espiritual e um sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais, mediante todas as suas actividades, e dar a conhecer os prodígios d’Aquele que das trevas os chamou à Sua luz admirável (cf. 1 Pd 2, 4-10)»; «Um é, pois, o Povo eleito de Deus: "um só Senhor, uma só fé, um só baptismo" (Ef 4, 5), pela dignidade dos membros através da regeneração em Cristo. Assim é a vocação à perfeição cristã».
Existindo entre todos «verdadeira igualdade quanto à dignidade e acção comum a todos os fiéis na edificação do Corpo de Cristo», alguns são constituídos, por vontade de Cristo, «mestres, dispensadores dos mistérios e pastores em benefício dos demais». Tanto o sacerdócio comum dos fiéis como o sacerdócio ministerial ou hierárquico «ordenam-se um ao outro, embora se diferenciem na essência e não apenas em grau, pois ambos participam, cada qual a seu modo, do único sacerdócio de Cristo». Entre eles dá-se uma eficaz unidade, porque o Espírito Santo unifica a Igreja na comunhão e no serviço e a provê de diversos dons hierárquicos e carismáticos.
A diferença essencial entre o sacerdócio comum dos fiéis e o sacerdócio ministerial não está, portanto, no sacerdócio de Cristo — que sempre permanece uno e indivisível — nem tampouco na santidade à qual todos os fiéis são chamados: «O sacerdócio ministerial, com efeito, não significa um maior grau de santidade em relação ao sacerdócio comum dos fiéis; mas através dele é concedido aos presbíteros (padres), por Cristo no Espírito, um dom particular para que possam ajudar o Povo de Deus a exercer com fidelidade e plenitude o sacerdócio comum que lhe é conferido». Na edificação da Igreja, Corpo de Cristo, existe uma diversidade de membros e de funções, mas um só é o Espírito, que para a utilidade da Igreja distribui os seus vários dons com magnificência proporcional à sua riqueza e à necessidade dos serviços (1 Cor 12, 1-11).
A diferença está no modo de participação no sacerdócio de Cristo e é essencial no sentido de que «enquanto o sacerdócio comum dos fiéis se realiza no desenvolvimento da graça baptismal — vida de fé, de esperança e de caridade, vida segundo o Espírito — o sacerdócio ministerial está a serviço do sacerdócio comum, refere-se ao desenvolvimento da graça baptismal de todos os cristãos». Por conseguinte, o sacerdócio ministerial «difere essencialmente do sacerdócio comum dos fiéis porque confere um poder sagrado para o serviço dos fiéis». Para este fim, o sacerdote é exortado a «crescer na consciência da profunda comunhão que o liga ao Povo de Deus», para «suscitar e desenvolver a co-responsabilidade na comum e única missão de salvação, com a pronta e cordial valorização de todos os carismas e tarefas que o Espírito oferece aos crentes para a edificação da Igreja».
As características que diferenciam o sacerdócio ministerial dos Bispos e dos presbíteros do sacerdócio comum dos fiéis e que consequentemente delineiam os limites da colaboração destes no sagrado ministério podem ser assim sintetizadas:
a) O sacerdócio ministerial tem a sua raiz na sucessão apostólica e é dotado de um poder sagrado que consiste na faculdade e na responsabilidade de agir na pessoa de Cristo Cabeça e Pastor.
b) Esse sacerdócio torna os ministros sagrados servidores de Cristo e da Igreja, mediante a proclamação autorizada da palavra de Deus, a celebração dos sacramentos e o governo pastoral dos fiéis.
Colocar os fundamentos do ministério ordenado na sucessão apostólica, já que esse ministério continua a missão que os Apóstolos receberam de Cristo, é ponto essencial da doutrina eclesiológica católica. Portanto, o ministério ordenado é constituído sobre o fundamento dos Apóstolos para a edificação da Igreja: «ele existe totalmente em função do serviço da mesma Igreja». «Intrinsecamente ligado à natureza sacramental do ministério eclesial está o seu carácter de serviço. Com efeito, inteiramente dependentes de Cristo que confere missão e autoridade, os ministros são verdadeiramente "servos de Cristo" (Rm 1, 1), à imagem de Cristo que assumiu livremente por nós "a condição de servo" (Fl 2, 7). E porque a palavra e a graça de que são ministros não são deles, mas de Cristo que lhas confiou em favor dos outros, eles se farão livremente servos de todos».
O padre está ao serviço dos servos de Deus. Somos todos chamados a servir, a implantarmos e desenvolvermos o Reino de Deus, aqui e agora.
PE. FILIPE LOPES

23 janeiro 2007

«VEM, SENHOR JESUS»



Vem, Senhor Jesus porque sem Ti já não há paisagem.

Vem, Senhor Jesus porque sem Ti não há melodias.

Vem, Senhor Jesus porque sem Ti não encontro paz em nada,
sem Ti os meus olhos não brilham.


A vida é coisa pouca, sem Ti, sem Ti, sem Ti, sem Ti, a vida é coisa pouca.


Vem, Senhor Jesus depressa à minha vida, depressa Senhor, depressa!


Porque sem Ti, eu não quero a vida, já não canto com alma, as minhas mãos não servem


e nem escuto quem sofre, não abraço com força, o meu coração não se abre, o meu sorriso não é pleno!

Tudo sem Ti, nada vale a pena, porque sem Ti já nada me preenche, porque sem Ti tudo soa vazio, sem Ti tudo me deixa tristeza,


porque sem Ti já não respiro fundo, porque sem Ti tudo me cansa,

porque sem Ti me falta tudo e me sobra tudo, tudo sem Ti, sem Ti...





Vem, Senhor Jesus depressa à minha vida, depressa Senhor, depressa!


Porque sem Ti não me importa o irmão, não me importa o que ele sofre,

porque sem Ti meu coração é de pedra a quem tudo resvala,

acostumado aos pobres, acomodado lá em casa,
sem apostar na vida, sem gastá-la por nada,



sem gastá-la por nada…


Vem, Senhor Jesus depressa à minha vida, depressa Senhor, depressa!

(Irmã Glenda)

19 janeiro 2007

Comunidade Luz e Vida

Nossa História:

Porque existimos?


Acreditamos que a Comunidade Luz e Vida existe por vontade de Deus. Os factos comprovam que a nossa Comunidade desde sempre existiu no Coração de Jesus.
Quando o Pe Filipe foi falar com o seu bispo, Dom Serafim Ferreira Sousa e Silva, da diocese de Leiria-Fátima, sobre o seu desejo de começar uma comunidade, a resposta do bispo foi imediata e sem reservas: “Caminhem!”
Ainda quando era seminarista, o Pe Filipe Lopes, fundador da Comunidade Luz e Vida, sentia no seu coração que o Senhor o chamava para uma vida missionária. Estava a estudar para ser padre diocesano, mas no seu coração habitava o desejo de ir mais além. Conhecendo o Renovamento Carismático Católico e fazendo algumas experiências de vida e missão nalgumas comunidades carismáticas de Portugal e do Brasil no tempo de férias, foi percebendo cada vez mais, mediante aos acontecimentos, que Deus queria uma nova comunidade em Portugal.
Com o Marcelo, um jovem brasileiro que está com o Pe Filipe desde o começo da Comunidade, convidou um grupo de pessoas amigas, entre elas jovens e casais, para uma reunião no dia 29 de Julho de 2001, onde apresentaria o perfil da comunidade. Este grupo a cada reunião foi aumentando, – … “e o Senhor aumentava todos os dias, o número dos que tinham entrado no caminho da salvação” (Act 2, 47) – de modo que hoje, em 2005, a Comunidade Luz e Vida já pode contar com 60 membros, entre casais e solteiros. Sendo que, actualmente 4 jovens vivem em Comunidade de Vida, partilhando a vida com o fundador, e os outros membros que vivem em suas casas, têm o seu próprio trabalho, mas comungam da mesma espiritualidade e da mesma regra de vida da Comunidade Luz e Vida.

Identidade e Carisma

A Comunidade Luz e Vida é como uma pequena semente de libertação no meio do mundo. Ela é chamada a ser sacramento do amor de Deus de modo preferencial no meio dos jovens e para os jovens. A sua missão é viver a consagração pela comunhão com Deus no seguimento de Jesus Cristo e pela vida fraterna, em ordem ao serviço da evangelização.
O que é a Comunidade Luz e Vida? É um carisma próprio que pretende reunir leigos, consagrados, casais, jovens, adultos, crianças, viúvos e viúvas, enfim, todos os estados de vida. Pessoas que recebem o mesmo chamamento para servir a Igreja e os irmãos.
Porquê Luz e Vida? Porque na oração o Senhor assim o inspirou: “N’Ele estava a Vida e a Vida era a Luz dos homens” (Jo 1,4); e “Vou fazer de ti luz das nações, a fim de que a Minha salvação chegue até aos confins da terra” (Is 49,6b).
Somos uma comunidade que nasceu na Igreja para ser Igreja e conduzir os outros para a mesma realidade. Sentimos que Deus nos chama a vivermos em comunidade para fortalecer a nossa fé, a nossa esperança e o nosso amor, e assim, para que possamos levar a Sua Palavra a todos os corações, pelos meios que Ele nos permitir.
A Comunidade Luz e Vida vai caminhando e sentindo mais forte o chamamento de Deus. Já não duvidamos que o Senhor nos congregou para uma missão evangelizadora. Ele quer servir-Se de nós. Temos profunda consciência de que somos seus servos.
A Comunidade Luz e Vida vive como princípio fecundo e efectivo a realidade da contemplação na acção. Somos chamados a adorar a Jesus, prostrarmo-nos aos Seus pés, comos os pastorinhos de Fátima, mas a estarmos ao mesmo tempo, assim como os pastorinhos, a cuidar do Rebanho que Ele nos confia.

A Nossa Espiritualidade

A nossa espiritualidade é carismática. Nascemos dentro do Renovamento Carismático Católico na Diocese de Leiria Fátima. A nossa espiritualidade está fundamentada na espiritualidade dos pastorinhos de Fátima e na dinâmica do Renovamento Carismático Católico.
Procuramos viver alguns princípios básicos para sustentar uma espiritualidade sólida e fecunda.
A nossa regra de vida é a seguinte:

Diariamente:

Oração de Louvor Matinal (Laudes)
Eucaristia
Adoração
Rosário
Estudo Bíblico (Lectio Divina)

Semanalmente:

Jejum (às Sextas-feiras)
Formação espiritual/humana/missionária/…

Mensalmente:

Confissão
Formação espiritual/humana/missionária/…
Convívio Comunitário
Atendimento pessoal com o Fundador e/ou com o Formador Conselheiro

Anualmente:

Retiro anual
Cursos de formação para a missão

Nossa Missão:


Missão e Actividades


Desde que começamos a comunidade, sentimos que Deus nos chamava a estarmos abertos a todas as realidades possíveis para evangelizarmos. Surgiu nesse tempo muitas oportunidades: um programa de televisão, um programa de rádio, encontros de formação e evangelização por todo o país, evangelização nas praias, etc…
A Comunidade Luz e Vida não medirá esforços para fazer acontecer, em Portugal e quem sabe no mundo, o Evangelho de Jesus.


Nossas Actividades:


Tarde de Louvor

Todos os primeiros Domingos de cada mês, a Comunidade Luz e Vida realiza na igreja paroquial de Albergaria dos Doze uma Tarde de Louvor. Louvamos o Senhor pela oração e pelos cânticos, ouvimos a Sua palavra através de uma pregação ou ensinamento, celebramos a Eucaristia e deixamo-nos guiar pelo Espírito do Senhor. Começamos às 14h30 e vamos até às 18h30.

Dia de Louvor

Três vezes ao ano (Janeiro, Maio, Setembro) fazemos em Fátima, no Anfiteatro do Paulo VI, um Dia de Louvor. Deus tem realizado muitas conversões, curas, libertações e maravilhas nas vidas de muitas pessoas que têm participado nesses dias de acção de graças. Começamos às 09h00 e terminámos às 18h30.

Encontro de jovens

A Comunidade Luz e Vida sente que a sua vocação primeira é a evangelização dos jovens. Por isso, três vezes ao ano (Páscoa, Natal e Verão) fazemos em nossa casa um encontro de jovens. São momentos de verdadeiro encontro pessoal com Cristo e de transformação de vida.

Encontros de Formação e Espiritualidade

A Comunidade Luz e Vida está aberta aos dons do Espírito Santo. Por isso sente-se vocacionada, pela força do carisma que recebeu, a pregar retiros, conduzir grupos de Oração, promover encontros de Cura interior e Libertação, encontros de Formação, em todo o país e exterior. Temos, por graça de Deus, percebido na Comunidade, os Carismas da Pregação, do Ensinamento e da Cura interior e libertação.


Evangelização no Verão

Quando somos chamados, ou por iniciativa nossa, vamos às praias evangelizarmos. Cantamos louvores ao Senhor e conduzimos momentos de oração. São verdadeiros momentos de alegria e de encontro com o Senhor. Alguns casais e jovens da nossa comunidade estão abertos ao convite de evangelizarem nas praias de todo o país, desde que tenham onde ficar para poderem atender as pessoas em oração e contar com a providência de Deus.

Atendimentos de Oração e Aconselhamento

Todas as Sextas-feiras fazemos adoração ao Santíssimo Sacramento na igreja paroquial de Albergaria dos Doze e atendemos em oração as pessoas que ligam e marcam atendimento. Graças a Deus têm acontecido momentos fortes de libertação e intercessão.

Nossos Projectos

Termos uma quinta onde possamos construir as nossas casas e um grande espaço para acolhermos a todos nos nossos encontros de oração e formação
Evangelizarmos através de programas de Televisão, Rádio e pela Internet. Já temos um Site que está em Construção: http://www.comunidadeluzevida.com/
Gravação de CDs
Edição de Livros de Espiritualidade e Formação
Aquisição de uma Rádio ao serviço da evangelização
Grupo de Teatro
Promoção de Eventos de Evangelização
Fazermos sempre a vontade de Deus…