28 dezembro 2007

Vida Nova num Novo Ano


É costume dizer-se nesta época do ano: ano novo, vida nova.
É costume também, formularem-se votos de saúde, prosperidade, felicidade, enfim, votos de que tudo corra pelo melhor sem problemas de qualquer espécie.
Pensava em tudo isto quando me preparava para formular esses mesmos votos a todos aqueles que visitam este espaço, e me perguntei: E tu o que desejas neste novo ano que vai começar?
Claro que a minha primeira resposta tinha tudo a ver com os votos acima expressos, ou seja, saúde, prosperidade, felicidade, ausência de problemas, de contrariedades, etc.
Depois pensei melhor e reflectindo cheguei à conclusão que ter tudo isso numa óptica de vida no mundo, (e que é impossível de concretizar), é muito redutor, porque se esgota nesta vida mortal, não se projecta para a vida eterna a que eu acredito somos chamados.
Assim formulei então para mim os meus votos para o novo ano!
Que cada vez mais procure e me seja concedida a graça de uma relação mais intima, pessoal e profunda com Jesus Cristo, Senhor e Salvador.
Que cada vez mais me deixe conduzir, renovar, inspirar, iluminar, pelo Espírito Santo, Senhor que dá a vida.
Que cada vez mais me deixe envolver no amor do Pai, Senhor Todo Poderoso, Criador de todas as coisas.
Percebi então que estes são os melhores votos para o novo ano que se avizinha, porque se assim for, sempre estarei acompanhado pela Eternidade do Amor, na saúde e na doença, na prosperidade e na míngua, na alegria e na tristeza, na harmonia e na contrariedade e tudo será vivido na graça do dom da vida que o Senhor me concedeu.
Nada mais posso e quero para mim neste novo ano que vai começar!
Como quero para a Comunidade Luz e Vida e para mim sempre o melhor, também o desejo a todos os outros, amigas e amigos que aqui nos visitam, (os que comentam e os silenciosos), na certeza de que, na concretização destes votos só pode acontecer para cada um de vós um Novo Ano cheio de Vida Nova.

24 dezembro 2007

Boas Festas


Um


SANTO NATAL


para todos


na paz e no amor de


JESUS CRISTO

SENHOR E SALVADOR

14 dezembro 2007

Os "defeitos" de Deus

Neste momento e depois de lerem este titulo, aqueles que nos visitam e conhecem o que escrevemos, devem estar a pensar:
O que é que lhes deu? Será que enlouqueceram?
Mas não, fiquem descansados, que estamos no nosso perfeito juízo, achamos nós!
Realmente depois de muito pensarmos e meditarmos, descobrimos pelo menos três “defeitos” em Deus que vos queremos dar a conhecer.

1º “Defeito” de Deus

Deus é incapaz de não amar!
Por muito que tente, que Se esforce, que coloque todas as Suas forças nesse desiderato, Deus não consegue deixar de amar.
É-Lhe impossível!
Ele é todo amor e não consegue descobrir em Si nada que possa modificar isso: Deus não consegue não amar.

Já nós temos essa capacidade e sem fazermos esforço nenhum.
É aliás das coisas mais fáceis que fazemos nas nossas vidas: não amar!
Basta que não nos interesse, e com toda a facilidade conseguimos não amar.
Nós somos perfeitamente capazes de não amar!

2º “Defeito” de Deus

Deus é incapaz de não perdoar!
Pronto é assim, não há nada a fazer, não consegue não perdoar!
Está ali à porta, e mal vê um que se aproxima para pedir perdão, não aguenta, larga a correr para ele, abraça-o, dá-lhe as melhores roupas e faz uma festa!
Ele é todo perdão e não consegue descobrir em Si nada que possa modificar isso: Deus não consegue não perdoar!

Já para nós isso é uma coisa do dia a dia!
Não nos custa nada e fazemo-lo com a maior das facilidades.
E afinal é fácil, estamos ali à porta, e quando vemos alguém que nos vem pedir perdão é muito simples: Fechamos a porta!
Que aliás para nós, a maior parte das vezes, isso de perdoar é uma “fraqueza”!
Nós somos perfeitamente capazes de não perdoar!

3º “Defeito” de Deus

Deus é incapaz de não ser fiel!
Já Paulo o afirmava, sem margem para dúvidas:
«Se formos infiéis, Ele permanecerá fiel, pois não pode negar-se a si mesmo.» 2 Tm 2, 13
Ele é assim, mesmo que nós O afastemos, Lhe voltemos a cara, O insultemos, Ele fica ali, junto de nós, sem nunca nos abandonar, sempre pronto para nos ajudar quando for preciso, o que, convenhamos, é em todos os momentos das nossas vidas.
Ele é todo fidelidade e não consegue descobrir em Si nada que possa modificar isso: Deus não consegue não ser fiel!

Já connosco é muito fácil!
Basta por vezes oferecerem-nos qualquer coisa que nos agrade, para com toda a facilidade rompermos os compromissos.
Basta que alguém ou algo nos agrade mais, e rapidamente pomos de lado quem ou aquilo que era objecto da nossa fidelidade.
Basta que não nos concedam aquilo que queremos, (tenhamos razão ou não), para nesse mesmo momento voltarmos costas e irmos procurar noutro lado aquilo que desejamos.
Nós somos perfeitamente capazes de não ser fiéis!